segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

domingo, 21 de dezembro de 2014

"Noite Feliz" nasceu numa noite de Natal numa capela esquecida


Em 24 de dezembro de 1818, a canção “Stille Nacht” (“Noite Feliz”) foi ouvida pela primeira vez na aldeia de Oberndorf (Áustria).

Foi na Missa de Galo na minúscula capelinha de São Nicolau.

Estavam presentes o pároco Pe José Mohr, o músico e compositor Franz Xaver Gruber com seu violão, e o pequeno coro da esquecida aldeia.

No fim de cada estrofe, o coro repetia os dois últimos versos.

Naquela véspera de Natal nasceu a música que passou a ser como um hino oficial do Natal no mundo todo.

Hoje se canta nas capelas dos Andes e no Tibete, ou nas grandes catedrais da Europa.

Há muitas histórias sobre a origem dessa canção. Entretanto, a verdadeira é simples e risonha como a canção ela própria.

CLIQUE PARA OUVIR



terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Aspectos pouco lembrados do Natal


Presépio. Catedral de Motherwell, Escócia
Presépio. Catedral de Motherwell, Escócia
A festa de Natal é a comemoração do nascimento de nosso Salvador em Belém. É a alegria pela vinda do Menino Jesus à Terra. É a Redenção que se inicia. É o gáudio de Maria Santíssima.

A cada ano, por ocasião dessa magna data, graças especiais descem sobre os homens. São graças de suavidade, de bem-estar espiritual, de uma felicidade intensa e calma.

Quanto mais uma sociedade está penetrada pela influência da Civilização Cristã, mais essas graças se fazem sentir; quanto mais ela estiver paganizada, mais as almas tendem a rejeitá-las, e então elas parecem refugiar-se nos poucos que permanecem fiéis ao sentido autêntico do Natal.

O Natal afugenta os demônios

Mas há um aspecto do Natal que tem sido pouco lembrado ao longo dos últimos tempos: é o fato de que as graças natalinas afugentam o demônio e seus malefícios.

A Civilização Cristã sempre o entendeu assim, e numerosas lendas, cheias de beleza e ingenuidade, retratam tal realidade.

Isto não significa que tais lendas devam ser tomadas ao pé da letra em todos os seus pormenores, mas não se pode negar que, freqüentemente, elas são portadoras de verdades profundas.

Ao acrescentar poesia e imaginação a certos acontecimentos natalinos, o povo miúdo de Deus consegue exprimir uma realidade espiritual mais alta, que de outro modo lhe seria difícil manifestar.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

O que sofrem as mulheres
sequestradas em nome do Corão



Cerca de uma centena de meninas e moças nigerianas que foram sequestradas pelos fanáticos islâmicos do Boko Haram mas conseguiram fugir, descreveram os tormentos de que foram objeto, segundo noticiou o jornal “Clarín” de Buenos Aires. 

Aplicando os conselhos do Corão para o trato com os cristãos, os islamitas escravizaram-nas e as submeteram a trabalhos degradantes, estupros, torturas, abuso psicológico e “matrimônio forçado”, além de obrigá-las a se “converterem” pela força ao Islã.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Atingido pela “cultura da morte”, Portugal perde população

Luis Dufaur



No ano de 2013, os nascimentos em Portugal foram a metade de há 40 anos. Além do mais, 128 mil portugueses emigraram no mesmo ano, numero equivalente à população de Braga, a quinta maior cidade do país, informou o jornal “Correio da Manhã”.

O número exato de nascimentos em 2013 foi de 82.787, o que representa uma redução de 7,9% em face a 2012 (89.841). Por isso o jornal escreve que hoje nascem praticamente a metade dos bebês registados em 1973.

Há 41 anos nasceram 172 mil crianças, 12.332 das quais de pais não casados. Como reflexo do crescimento da imoralidade, em 40 anos o número de nascimentos fora do casamento mais do que triplicou: 39.434 em 2013, ou seja, 48% do total dos nascidos!

Como os óbitos atingiram 106.543, o déficit populacional provocado pela queda dos nascimentos atingiu – 23.756.

Portugal perdeu 60 mil habitantes em 2013. Além da redução da natalidade, o outro fator de quebra foi o aumento da emigração.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística português, no último ano emigraram de modo permanente 53 mil cidadãos, e 74 mil por um período inferior a um ano.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Jovens pela vida frustam
evento da “cultura da morte” na Argentina

Catedral de Salta que a "cultura da morte" visava profanar
Catedral de Salta que a "cultura da morte" visava profanar
Luis Dufaur


O governo argentino promoveu o “29º Encontro Nacional de Mulheres” que se repete todos os anos. O evento reúne anualmente centenas de militantes feministas em prol do aborto, LGBT, e até prostituição.

Esses encontros costumam concluir com uma passeata que vai até a catedral local, visando profaná-la, quiçá invadi-la e sujá-la.

A Revolução Sexual foi adotada pelo “bolivarianismo” e é uma de suas facetas mais dinâmicas.

Desta vez, o encontro aconteceu na cidade de Salta, norte da Argentina. Porém, já alertados contra essas iniciativas agressivamente anticristãs, os movimentos católicos e pela vida reagiram dentro da lei com notável sucesso.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Meio milhão de franceses nas ruas
contra a Revolução Sexual socialista


Perto de 530.000 franceses desfilaram em 5 de outubro, em Paris e Bordeaux, contra a inseminação artificial de uma dupla de lésbicas (procriação medicamente assistida ou PMA) e o aluguel de ventres (gestação por outro ou GPA) em favor de um par de homossexuais. Essas operações atualmente são ilegais e não podem ser financiadas pelo sistema público de saúde.

Os manifestantes foram convocados pelo conjunto de organizações conhecido como “La Manif pour tous”, que já promoveu multitudinários protestos contra o “casamento” homossexual nos dois anos anteriores, segundo informou a imprensa francesa, como “La Croix”.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Mais de 900 médicos já assinaram
a Declaração de Dublin contra o aborto

Simpósio Internacional de Saúde Materna de Dublin
Simpósio Internacional de Saúde Materna de Dublin
Pelo menos 900 profissionais da medicina já assinaram a Declaração de Dublin sobre a Saúde Materna. Lançada em 2012, ela declara que o aborto não é necessário para salvar a vida das mulheres, segundo informou a agência LifeSiteNews.

O documento foi dado a público no Simpósio Internacional de Saúde Materna de Dublin, Irlanda, e seu promotores esperam reunir 2.000 assinaturas por volta de 2015.

Ele defende: “Enquanto práticos experimentados e pesquisadores nas áreas de obstetrícia e ginecologia, afirmamos que o aborto provocado – a destruição intencional de uma criança não nascida – não é medicamente necessária para salvar a vida de uma mulher.

“Sustentamos que há uma diferença fundamental entre aborto e os tratamentos médicos necessários que visam salvar a vida da mãe, ainda que tais tratamentos resultem na perda da vida da criança não nascida.

“Confirmamos que a proibição do aborto não afeta de modo algum o fornecimento de um tratamento ótimo a uma mulher grávida”.

Sem crianças, metade das cidades japonesas pode se extinguir

Reprime-se a natalidade e o país vira um enorme refúgio de velhos
Reprime-se a natalidade e o país vira um enorme refúgio de velhos

O que nem a bomba atômica conseguiu a ‘cultura da morte’ está obtendo: extinguir a população do Japão.

Uma subcomissão ad hoc do Conselho de Política do Japão chegou à conclusão de que quase metade dos municípios do país terá dificuldades para continuar existindo normalmente até 2040, informou a BBC Brasil.

O estudo focou a população de mulheres com idade de 20 a 39 anos, pois elas são o fator-chave para o futuro da população japonesa.

Liderada pelo ex-ministro de Assuntos Internos, Hiroya Masuda, dita subcomissão elaborou a lista das cidades, vilas e aldeias cujas populações diminuirão em pelo menos 50% no período 2010-2040, se continuarem as atuais tendências anti-populacionais.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

IPCO: Aborto, Blasfêmia e Sacrilégio
na 31ª Bienal de Artes de São Paulo

Imagem de Nossa Senhora com o Menino Jesus
toda coberta por baratas e escorpiões

IPCO

É bem possível que seu filho, sobrinho ou neto venha a ser convidado pela escola, se já não o foi, a visitar a Bienal de Artes de São Paulo. É o que costuma ocorrer…

Mas neste ano, o que ele verá?

Um conjunto escandaloso de blasfêmias e sacrilégios contra Nosso Senhor Jesus Cristo e a Santíssima Virgem, um incitamento à total legalização do aborto e uma promoção aberta do homossexualismo!

Proteste agora mesmo e envie sua mensagem aos diretores das escolas de São Paulo, pedindo que não promovam a excursão de seus alunos à 31ª Bienal de Artes de São Paulo!

Representantes do INSTITUTO PLINIO CORRÊA DE OLIVEIRA estiveram na Bienal para elaborar um documentário, e ficaram estarrecidos com o que viram:

1 – A exposição “Errar de Deus” expõe a figura sagrada de Jesus Cristo crucificado sendo devorada por corvos.

2 – Na sequência, uma imagem de Nossa Senhora com o Menino Jesus toda coberta por baratas e escorpiões.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Cristãos no Iraque: preferimos morrer a esconder a nossa cruz

Cristão Iraque
Cristãos num abrigo em Erbil, Iraque. Foto: Ahmed Jalil/EPA

Das igrejas fizeram casa. Continuam a ir à missa – rezam pela paz. Mas onde havia milhares de cristãos, como em Mossul, não há agora nenhum.

“A vida deles está completamente virada do avesso”, diz à Renascença, a partir do Iraque, um elemento da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre.

De um dia para o outro, tudo mudou para os cristãos no Iraque. Entre conversão ao Islão ou o pagamento do imposto exigido pelo autoproclamado Estado Islâmico, não tiveram escolha. Deixaram tudo para trás. No meio do desespero não sobrou tempo para preparos. Muitos fugiram de mãos vazias e sem dinheiro nos bolsos.

“Os refugiados estão a abrigar-se em igrejas, alguns deles estão em parques a viver em tendas. Nesta altura do ano, as temperaturas atingem os 43, 45 graus. São condições muito difíceis”, conta à Renascença Regina Lynch, directora de projectos da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), organização dependente do Vaticano.

“Conhecemos uma família que demorou cinco horas a fazer uma viagem que normalmente demoraria uma hora e meia. Eram 24 pessoas numa carrinha que transporta oito no máximo. Isto mostra a forma desesperada como as pessoas tiveram que abandonar a região”, conta, por telefone.

Com Regina Lynch, estão no Iraque o presidente internacional da AIS, Johannes von Heereman, e a directora de comunicação, Maria Lozano. Querem conhecer de perto os cristãos perseguidos e as suas necessidades. Querem lembrar-lhes que não estão sós e dar-lhes voz.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Mais de 3 mil médicos e estudantes de Medicina poloneses prometem não praticar abortos

Jovens contra o aborto na Polônia
Jovens contra o aborto na Polônia

Mais de três mil médicos e estudantes de Medicina poloneses assinaram em Cracóvia uma declaração em que se comprometem a não praticar abortos nem fornecer receitas para anticoncepcionais, noticiou a agência “Infocatolica”

O juramento hipocrático, pilar da deontologia médica desde o século IV antes de Cristo, é inteiramente claro sobre a incompatibilidade entre o exercício da Medicina e o aborto.

Ele deveria bastar para impedir o massacre dos inocentes e os atentados contra a concepção.

“Eu não darei droga letal a ninguém, caso isso me seja solicitado, não aconselharei tal procedimento; e similarmente, não darei a uma mulher um pessário [diafragma] que lhe provoque um aborto” – diz o original grego do juramento.

Porém, esse juramento, tradicional entre os médicos dos países civilizados, foi calcado aos pés pelas legislações ocidentais “modernas”, contrárias à concepção e à vida.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Jovens católicos franceses
acham “demodés” bispos e políticos modernizados

Uma nova geração de jovens católicos engajados na defesa da instituição familiar e na vigência da moral na sociedade vem causando consternação na Conferência Episcopal Francesa, segundo a revista “Figaro Magazine”.

O episcopado francês está com a consciência pesada – escreveu o vaticanista Jean-Marie Guénois, do grupo do “Figaro” – pois ele se engajou há décadas com o socialismo e o comunismo sob o pretexto de conquistar a classe operária.

Porém, após modernizar-se a ponto de quase não se identificar com seu passado, no fim do século XX percebeu que tinha perdido sua influência sobre a classe operária que tende para a extrema direita.

O novo problema é que o episcopado, que tentou dar à luz a uma “Igreja jovem” dessacralizada e igualitária, perdeu agora a adesão da juventude!

Porém, segundo Guénois, muitos e dos mais importantes bispos do país, que sempre procuram ler os “sinais dos tempos”, sequer deram a impressão de ter percebido a imensa transformação.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Educação começa séculos antes do nascimento

O professor Gregory Clark, da Universidade da Califórnia, empreendeu um estudo dos nomes de família pouco frequentes. Estes nomes são mais facilmente identificáveis nos registros antigos e permitem analisar com facilidade a continuidade familiar.

O prof. Clark verificou a estabilidade do nível social das famílias, independente do país ou do período histórico considerado.

Outros estudos afirmavam que a suposta mobilidade social moderna de fato não existe no grau que se apregoa. Na realidade, ela é fonte de instabilidade, embora para muitos seja uma “conquista” das sociedades modernas.

Mas o professor da Califórnia achou o contrário: que a estabilidade social das famílias vem de muito longe, malgrado as aparências em contrário.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Bispo dos EUA reafirma proibição de dar a Comunhão a pecadores públicos

D. Thomas J. Paprocki, bispo de Springfield, Illinois, EUA
D. Thomas J. Paprocki, bispo de Springfield, Illinois, EUA

O bispo de Springfield (Illinois), D. Thomas J. Paprocki, apoia claramente os sacerdotes que negam a Comunhão aos políticos que se declaram católicos mas cooperam com projetos contrários aos ensinamentos da Igreja.

O site “Lifesitenews” noticiou que o bispo ratificou plenamente a decisão de um sacerdote diocesano que recusou a Eucaristia ao senador Dick Durbin. Este político sustenta a associação abortista Naral Pro-Choice.

O editorialista católico Matt Abbot divulgou que o escandaloso senador “foi informado há anos pelo responsável da paróquia do Santíssimo Sacramento de Springfield que não podia receber a Santa Comunhão em virtude do cânon 915 do Código de Direito Canônico”. O senador acatou a proibição.

O cânon 915 (equivalente a um artigo dos nossos Códigos) estabelece textualmente que “não devem ser admitidos à Sagrada Comunhão os excomungados e os interditados após a imposição ou declaração da pena, e aqueles que obstinadamente persistam num manifesto pecado grave”.

O cumprimento desta norma legal provoca debates e até ira na mídia e nos inimigos da Igreja. Também não é bem aceito por certos bispos da linha “progressista” ou amigos de governos de esquerda, que argüem por vezes um falso senso de caridade ou de misericórdia.

domingo, 25 de maio de 2014

Tentativa de “missa negra satânica” em Harvard.
Estudantes reparam ofensa ao Corpo de Cristo

Convite missa negra satânica
A encenação de uma “missa negra satânica” havia sido agendada para segunda-feira, 12 de maio, véspera da festa de Nossa Senhora de Fátima, na prestigiosa Universidade de Harvard, nos EUA.

A “missa negra” é um culto satânico com blasfêmias e sacrilégios, que faz as vezes de uma paródia da Missa católica. Muitas orações são invertidas para exprimir o contrário do rito católico e cultuar Lúcifer, informou o “Boston Globe”.

O satânico ritual foi aprovado pelo Harvard Extension Cultural Studies Club e deveria ser executado pelo grupo “Satanic Temple”, de Nova York. O responsável por esse grupo declarou que não seriam usadas hóstias consagradas, como é o sacrílego costume, segundo informou a CNSNews.

A tentativa de amortecer as reações incluía a “explicação” de que essa “missa negra” seria apenas uma manifestação de independência em relação à autoridade da Igreja, quando na realidade trata-se de cultuar a revolta de Satanás contra o Sacrifício Redentor da Cruz, renovado em toda Missa autenticamente católica.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Famílias boicotam escolas que ensinam “ideologia de gênero”

Muitas famílias francesas tiram seus filhos das aulas que ensinBBC Brasil.

am ou viriam a ensinar a negação “das diferenças sexuais entre homens e mulheres”, noticiou a

A polêmica foi gerada pelo programa “ABCD da Igualdade”, concebido pelos Ministérios da Educação e dos Direitos das Mulheres, no governo socialista de François Hollande.

O pretexto do programa é combater as ideias homofóbicas e misóginas, a fim de que uma moça queira ser engenheira ou bombeira e um rapaz vire parteiro.

Mas, na realidade, o temor generalizado é de que o governo pretende impelir a “teoria do gênero” na mente das crianças para eliminar a ideia das diferenças naturais biológicas e sociais entre os homens e mulheres e promover a homossexualidade.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Maioria dos povos do mundo recusa
o aborto e a agenda homossexual

Pew Research Center’s 2013 Global Attitudes
Pew Research Center’s 2013 Global Attitudes
Nenhum dos 40 países de todos os continentes que foram sondados pelo Pew Research Center aprovou a afirmação de que o aborto é moralmente aceitável, noticiou a agência LifeSiteNews.

Estes são os resultados no Brasil. CLIQUE AQUI

Em 13 países a oposição ao aborto venceu na proporção de três a um. As nações com menos tolerância ao crime do aborto foram as Filipinas, Gana, Indonésia, Uganda, e El Salvador.

A maior parte dos povos consultados também qualificou a homossexualidade de moralmente inaceitável. Segundo o inquérito Pew Research Center’s 2013 Global Attitudes, em 22 das nações analisadas a maioria se opõe à homossexualidade por razoes morais.

O homossexualismo só foi julgado moralmente aceitável na República Checa, Espanha e Alemanha.

“Os resultados da enquete do Pew são surpreendentes” declarou Adam Cassandra, diretor de comunicações da Human Life International, a LifeSiteNews. De fato, o instituto Pew está muito longe de ser suspeito de propensões pelo conservadorismo ou pela moralidade.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Cristianismo cresce no Irã,
apesar a perseguição fundamentalista

Missa de Natal no Irã
Missa de Natal no Irã
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




É moeda corrente que desde a ascensão do aiatolá Khomeini no Irã em 1979 e a imposição da Sharia (lei islâmica que pune com a morte os que fogem do Islã), o catolicismo entrou em vias de extinção.

Porém, essa moeda é falsa, e o fato é que nesse país as conversões ao cristianismo vêm crescendo vertiginosamente, informou o site “Religión en Libertad”.

Isto acontece num regime de perseguição sob o qual líderes e fiéis cristãos são encarcerados em prisões de segurança máxima e torturados pelo mero fato de se tornarem seguidores de Jesus Cristo.

Recente relatório da ONU concluiu que a perseguição aos cristãos no Irã atingiu níveis em precedentes.

Aiatolás líderes do Conselho Supremo da Revolução Cultural Islâmica declararam que os ocidentais (leia-se cristãos ) são uma tropa de animais, em concordância com o Corão (5:59-60), que qualifica judeus e cristãos de descendentes de macacos e de porcos, respectivamente.

Aiatolás pregam que o cristianismo é uma religião de doentes mentais, e o tratamento da República islâmica para essa doença é, segundo os doutores corânicos, a execução.

Antes da Revolução Islâmica de 1979, o número dos cristãos no Irã era minúsculo.

Mas hoje o cristianismo está crescendo mais rápido do que em qualquer outra parte do mundo: 19,6% por ano.

Todd Nettleton, diretor da associação ‘Voz dos Mártires’, diz que está “crescendo num ritmo absolutamente fenomenal”.

Natal no Irã
Natal no Irã
O reverso da medalha é que está havendo um colapso no número de iranianos que frequentam as mesquitas.

Em 2010, Mohammad Ali Ramin, vice-ministro de Orientação Islâmica e Cultura, reconheceu:

“Fazemos um apelo a todos os clérigos islâmicos para que abandonem questões civis e políticas e voltem às mesquitas. Temos que repor nosso clero em suas funções porque a assistência às mesquitas vem diminuindo”.

Pela sharia ou lei islâmica válida para sunitas e chitas, judeus e cristãos são cidadãos de segunda classe, que devem pagar um imposto punitivo; as igrejas têm que ser menos altas que as mesquitas, não podem tocar sinos ou exibir cruzes, nem realizar funerais ou cerimônias públicas.

Está proibido construir novas igrejas e os conversos ao cristianismo são considerados traidores do país e do Islã, crime que acarreta execução.

Porém, o doce atrativo da graça de Jesus Cristo está vencendo todos esses obstáculos que parecem concebidos no inferno.


terça-feira, 29 de abril de 2014

Hospitais ingleses queimavam fetos para gerar energia


Dois hospitais britânicos reconheceram que queimavam fetos abortados para aquecer suas instalações.

Trata-se do Addenbrooke’s Hospital de Cambridge e o Hospital de Ipswich.

O primeiro reconheceu ter incinerado 797 fetos para gerar energia, dizendo para as mães que os mesmos tinham sido “cremados”.

No segundo, uma empresa terceirizada incinerou 1.100 crianças abortadas, trazidas de um outro hospital, entre os anos 2011 e 2013.

No Ipswich, as autoridades alegam desconhecimento da prática da terceirizada.

O ministro de Saúde, Dan Poulter (deputado e médico), ordenou acabar com essa prática “totalmente inaceitável”.

terça-feira, 22 de abril de 2014

78% de “transgêneros” pensaram em se suicidar

A informação foi difundida por "The Irish Times"
78% de “transgêneros” pensaram em se suicidar e 44% tentaram-no pelo menos uma vez, revelou um estudo sobre saúde mental encomendado à “Transgender Equality Network” pela comunidade “trans” da Irlanda.

A pesquisa analisou o caso de 164 participantes com o apoio da Iris O’Brien Foundation.

Segundo o diário irlandês “Irish Times”, o estudo confirmou os resultados já obtidos em trabalhos análogos em nível internacional e com uma base de análise muito mais larga.

Entre as causas das tendências suicidas apontadas pelo trabalho irlandês figura o “estresse extremo” ligado ao fato de o indivíduo ostentar um sexo que não é o natural.

A esses dados do "Irish Times", se pode acrescentar o horror que sentem muitos familiares, o estigma que acompanha essa torção violenta da ordem natural, e as incertezas psicológicas que perseguem o indivíduo que banca um sexo que não é o seu.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Tribunal Constitucional da Bolívia mantém a penalização do aborto

O Tribunal Constitucional da Bolívia recusou a despenalização do aborto pedida por um coletivo de grupos feministas, segundo noticiou o jornal parisiense “Le Monde”.

“O aborto é um crime” e “esta decisão do Tribunal Constitucional é um reconhecimento do direito à vida”, declarou o ministro Gualberto Cusi, no dia 13 de fevereiro.

O magistrado acrescentou que o acórdão “respeita o interesse da sociedade” e fundamenta-se “no argumento segundo o qual a vida deve ser respeitada desde a concepção”.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Marcha pela vida no Peru: a maior na história do continente

Marcha pela Vida, Lima. 22.03.2014
Marcha pela Vida, Lima. 22.03.2014
A terceira Marcha pela Vida na capital do Peru foi a maior passeata pela vida na história da América Latina. A participação atingiu entre 250.000 e 300.000 pessoas, segundo fontes diversas, informou “Religión en Libertad”.

Jovens, adultos e crianças marcharam desde as 9 da manhã no dia sábado 22 de março pelas grandes avenidas Brasil e Javier Prado, chegando a atingir uma extensão de 40 quarteirões.

Poucos dias depois houve marchas análogas nas cidades de Piura, Trujillo, Iquitos, Huancayo e Arequipa. Nessa cidade mais de 100 mil pessoas participaram do VIII Gran Corso por la Vida, la Familia y la Juventud, no Dia da Criança por Nascer, informou ACI.

Para participantes espanhóis, foi uma surpresa ver o próprio Cardeal-arcebispo de Lima falando à imensa multidão, como fazem certos cardeais e bispos dos EUA e Canadá nas marchas pela vida.

A surpresa provinha do fato dos bispos espanhóis se ausentarem há vários anos das passeatas pela vida.

No Peru o aborto é ilegal, mas existe uma norma velha de 90 anos que permite o aborto “terapêutico”. A norma é tão arcaica que nunca se verificam circunstâncias para a sua aplicação.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Episcopado da Nigéria elogia criminalização do “casamento” homossexual

Goodluck Jonathan, presidente de Nigéria
O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, aprovou lei que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Este será punido com 14 anos de prisão para cada um dos envolvidos.

“As pessoas do mesmo sexo que tiverem um contrato de casamento ou uma união civil cometem um crime e são passíveis de condenação com uma pena de 14 anos de prisão para cada”, diz a lei.

A lei também pune o relacionamento homossexual e a adoção de crianças por casais sodomíticos.

“Qualquer pessoa que se registra, opera ou participa de clubes gays, sociedades e organizações, ou direta ou indiretamente faz demonstração pública de relacionamento amoroso com alguém do mesmo sexo na Nigéria, comete um delito e é passível de condenação a uma pena de 10 anos de prisão”, acrescenta.

O projeto foi transformado em lei pelo Parlamento da Nigéria e a assinatura do presidente deu-lhe pleno valor legal.

O país teve de enfrentar interferências descabidas e ameaças do exterior, inclusive econômicas.

terça-feira, 25 de março de 2014

Austrália derruba lei que permitia 'casamento' homossexual

Corte Suprema de Austrália
O Supremo Tribunal da Austrália derrubou uma lei aprovada pelo governo trabalhista (socialista) que permitia “casamentos” sodomíticos entre pessoas do mesmo sexo no país.

A advocacia do governo federal argumentou que a existência de diferentes leis sobre casamento nos vários Estados e territórios australianos criaria confusão.

O Supremo decidiu por unanimidade que a lei não está de acordo com a legislação federal sobre matrimônio, que define o casamento como a união entre um homem e uma mulher.

“A lei do casamento não admite a formação ou reconhecimento de casamentos entre pessoas do mesmo sexo. A lei prevê que o casamento seja celebrado na Austrália somente entre um homem e uma mulher”, disse o tribunal em comunicado emitido junto com a decisão.

terça-feira, 18 de março de 2014

Uma a cada cinco adolescentes francesas já tentou se matar

Quase uma a cada cinco meninas adolescentes da França (20,9%) e 8,8% dos meninos de 15 anos confessaram que já tentaram se suicidar, conforme a conclusão de uma pesquisa publicada no jornal "Le Monde".

O estudo foi publicado também pela revista de formação médica “Le Concours Médical”, edição de janeiro.

A pesquisa foi realizada em junho de 2012 com 1.817 jovens de 171 escolas das regiões de Poitou-Charentes (centro-oeste) e Alsácia (centro-leste).

A publicação do resultado da pesquisa coincidiu com o Dia Nacional para a Prevenção do Suicídio.

Segundo “Le Monde”, em 1993 só 9% das meninas e 4% dos meninos reconheciam que tentaram o suicídio. Em 1999, os tétricos números saltaram para 14,6 e 8,8%, respectivamente.

terça-feira, 11 de março de 2014

Pesquisas mostram que bebês têm senso moral

Novos testes psicológicos confirmaram: bebês de poucos meses já evidenciam possuir senso moral e noção instintiva do bem e do mal, informou a “Folha de S.Paulo”.

O psicólogo canadense Paul Bloom, de Yale, em seu mais recente livro, intitulado Just Babies (“Bebês Justos” ou “Apenas Bebês”), resume décadas de pesquisas que apontam nesse sentido.

Bloom, sua colega (e mulher) Karen Wynn e outros pesquisadores reuniram evidências em favor da ideia de que os seres humanos já vêm equipados com um “senso moral” desde o berço.

Eles citam diversos testes, inclusive no laboratório de psicologia da Universidade Yale, nos EUA.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

“Política do filho único” chinesa continuará apesar de discursos oficiais

Partido Comunista diz relaxar política do filho único

O Partido Comunista da China anunciou que flexibilizará o controle da natalidade da população, a “política do filho único”, que dizima o país há 34 anos, informou a “Folha de S. Paulo”.

A decisão e outras ordens emitidas pelo Comitê Central do Partido Comunista chinês, na primeira reunião geral sob o comando do novo presidente Xi Jinping, foi divulgada pela agência de notícias estatal Xinhua.

Segundo a Xinhua, os casais estão autorizados a ter dois filhos, se um dos cônjuges for filho único.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Eutanásia pode vir se aplicar em crianças belgas

Eutanásia nas crianças, a caminho de ser aprovada na Bélgica
Eutanásia nas crianças, a caminho de ser aprovada na Bélgica
Na proximidade do último Natal, deputados belgas introduziram o debate da eutanásia infantil no Parlamento.

Na Bélgica a imoral eutanásia de adultos é legal desde 2002, mas os legisladores partidários da cultura da morte querem estendê-la aos menores de idade, informou o jornal portenho “Clarín”.

Nos jornais belgas ‘Le Soir’ e ‘De Morgen’, um grupo de médicos pediu a eutanásia infantil para os “menores submetidos a um sofrimento insuportável”.

Os opositores à sinistra proposta arguem que a criança não é capaz de compreender a portada de semelhante decisão.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Bebê chinês “eutanasiado” chora na hora de ser cremado

Bebê chinês declarado morto chora quando iam incinerá-lo
Um menino chinês que havia sido declarado morto no hospital pediátrico da província de Anhui (leste da China) começou a chorar quando estava prestes a ser cremado, informou a imprensa local, segundo reproduziu a agência AFP.

Os pais do bebê, que tinha menos de um mês e estava gravemente doente, aceitaram a eutanásia proposta pelos médicos para acabar com a vida do inocente, afirmaram fontes do hospital à agência oficial Xinhua.

Após a assinatura da certidão de óbito, o bebê foi entregue a uma funerária, que não efetuou a cremação porque a criança começou a chorar.

O bebê retornou imediatamente ao hospital. Após o incidente, um médico do hospital foi suspenso e uma enfermeira foi demitida.