quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Presidente uruguaio veta despenalização do aborto


No Uruguai, o Legislativo aprovou um iníquo projeto de despenalização do aborto pouco se incomodando com a declaração dos bispos segundo a qual os deputados que aprovassem o projeto ficariam excomungados.

Entretanto, fazendo uso de seus poderes constitucionais, o presidente uruguaio Tabaré Vázquez vetou o projeto.

Na exposição de motivos do veto, o presidente – que é médico ‒ diz que:

1) “a legislação não pode desconhecer a realidade da existência de vida humana na etapa da gestação, como o demonstra a ciência de maneira evidente." (...)

2)"Por outra parte, ao regular a objeção de consciência de maneira deficiente, o projeto gera uma fonte de discriminação injusta em relação aos médicos cuja consciência lhes impede praticar abortos," (...)

3) "Este texto também atinge a liberdade de empresa e de associação, impondo a instituições médicas a realização de abortos."

4) "O projeto, além do mais, qualifica erroneamente e de maneira forçada, contra o sentido comum, o aborto como ato médico, desconhecendo declarações internacionais (...) que refletem os princípios da medicina hipocrática que caracterizam o médico por atuar em favor da vida e da integridade física”.

Como já é costume, a grande mídia brasileira não deu merecido destaque a este fato que interessa a fundo a proteção da vida no Brasil.

Tivesse agido o presidente uruguaio em favor do aborto e a foto dele teria saido com relevo!

Por favor, enviem gratuitamente as atualizações de 'Valores inegociáveis: respeito à vida, à família e à religião' a meu Email

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.

Postar um comentário