quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Ives Gandra Martins: projetos de Código Penal e Comissão da Verdade atropelam fundamentos da Constituição


O Prof. Ives Gandra Martins, um dos mais renomados juristas brasileiros, de fama internacional, proferiu na capital paulista a substanciosa conferência “Estamos nas mãos de uma minoria que julga segundo suas opiniões próprias? – Por que o Supremo Tribunal Federal tomou decisões que chocam a consciência da maioria cristã dos brasileiros”, a convite do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira. O evento, que aconteceu no dia 20/9 p.p., lotou o auditório do Clube Homs, na Avenida Paulista.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sondagem anti-vida constata que a maioria dos americanos é contra o aborto

A maioria dos cidadãos americanos quer que o aborto seja proibido totalmente, ou pelo menos na maioria das exceções hoje admitidas pela lei, revelou enquête da CNN reproduzida pela agência LifeSiteNews.

O resultado não vem modificar substancialmente o que já se conhecia através de muitas outras pesquisas de opinião. Sua importância deriva de a CNN ser um dos grandes abandeirados do abortismo na “guerra das pesquisas”, mas com este seu reconhecimento ela “jogou a toalha”: não há mais como dizer que o povo quer mais massacre de inocentes.

A pergunta foi: “Você acha que o aborto deve ser legal em qualquer circunstância, legal apenas em certas circunstancias, ou ilegal em todas as circunstâncias?”.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Miguel Reale Jr: anteprojeto de Código Penal “não tem conserto. É uma obscenidade”

Prof. Miguel Reale Junior
A entrevista do Prof. Miguel Reale Junior à revista Consultor Jurídico não deixa dúvidas quanto à inépcia da comissão de juristas nomeada pelo Senado que elaborou o anteprojeto de reforma do Código Penal. Expressões como “o projeto é uma obscenidade, é gravíssimo” ou que “não têm nenhum conhecimento técnico-científico” conceitua os juristas chefiados pelo ministro Gilson Dipp.

A avaliação do eminente professor pesa mais quando define que “faltou experiência à comissão. Tanto no manejo de termos técnicos e científicos quanto na elaboração de leis. Entre os erros citados, o mais grave, para Reale Júnior, foi a inclusão de doutrina e termos teóricos e a apropriação, segundo ele, indiscriminada, da lei esparsa no código”.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Blogueira militante ateia encontra a verdade e se faz católica

Leah Libresco antes: "sou uma ateia"  procurava mas não achava argumento contra a Moral
Leah Libresco antes: "sou uma ateia"
procurava mas não achava argumento contra a Moral
Leah Libresco é uma blogueira americana que foi popular pelo seu ateísmo militante, expresso no “Patheos Atheist Portal”, de sua responsabilidade.

Formada em Yale e colaboradora do Huffington Post, a jovem filósofa deixou pasmos seus leitores, ateus como ela: tornou-se uma católica convicta e passou a militar pela Cristandade, segundo noticiou a agência Zenit.

“Esta é a minha última postagem”, anunciou no título do artigo onde ela explicava haver finalmente encontrado a resposta para um impulso ditado por uma “moral interna” para o qual o ateísmo não tinha explicação.

A resposta é uma só: o catolicismo. Esse catolicismo que Leah durante anos refutava e rejeitava com explicações naturalistas a conquistara racional e emotivamente.

“Durante anos eu tentei argumentar a origem da lei moral universal que reconhecia presente em mim”, explicou a blogueira; uma moralidade “objetiva como a matemática e as leis da física”.